Room 666 e a morte do cinema

Em 1982, Wim Wenders realizava um documentário sobre o futuro do cinema. Aproveitando o festival de Cannes, convidou diversos realizadores ali reunidos para que responderem algumas questões.

Um a um, os diretores eram colocados em um quarto, de frente a uma câmera e tinham dez minutos (um role de 16mm) para falar. Compondo o ambiente, uma televisão ao fundo e o equipamento de som em uma mesa.

A principal questão em debate era se o cinema viria a morrer.

A grande maioria dos diretores ali acreditava que o cinema iria realmente morrer e que a televisão tinha papel fundamental na morte do cinema. Por ter uma linguagem mais fácil e a comodidade de assistir em casa, acabara ganhando um espaço que antes era do cinema.

Dois depoimentos me chamam atenção: Paul Morrisey que mostra uma postura conformada quanto a morte do cinema e assume que quase não vê filmes mais e que prefere a linguagem da televisão por achá-la mais real.

E  Monte Hellman que diz não assistir a filmes ultimamente (1982) por achá-los ruins. Ele não acreditava na morte do cinema, apenas achava que os filmes passavam por um momento ruim e por isso não atraiam a atenção do público, muito menos a dele.

Ainda hoje vemos essa mesma discussão, apenas adaptando às tecnologias atuais. Cinema contra a televisão, o Cinema contra o vídeo, o Cinema contra a Internet… Pode-se perceber que por mais que enfrente inovações tecnológicas o Cinema não morreu, passou por transformações e se adaptou aos novos meios. O cinema, mutante, ainda vive.

Rodrigo Madeira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: